Projeto busca recursos para capacitar mães de crianças portadoras de síndromes raras

Por Combogó - 10 de novembro de 2016

Promover o aprendizado e despertar o empreendedorismo social nas mães de filhos portadores de síndromes raras, para que elas sejam reinseridas no contexto social de trabalho, despertando a cidadania e autoestima. Esses são os objetivos do projeto Mães Produtivas, iniciativa criada pela ONG Aliança de Mães e Famílias com Doenças Raras (Amar) que agora, em parceria com a Viabilizze, aposta no financiamento coletivo para arrecadar os R$ 7.500 necessários para por a ideia em prática.

O Mães Produtivas oferecerá cinco diferentes opções de cursos: maquiagem, design de sobrancelha e estética; doces e tortas finas; cabeleireiro; massoterapia e artesanato. A cada mês, serão promovidos dois cursos com 25 vagas cada, totalizando 250 mães beneficiadas ao final do programa. “A aposta no financiamento coletivo se dá por várias nuances, mas evidenciamos principalmente que por meio da sociedade civil a causa dos raros pode ser vista, sensibilizada e, sobretudo, abraçada. Assim, mostramos que a pessoa rara e sua família pode sim ser produtiva e inclusa na sociedade”, explica Tânia Cavalcanti, diretora voluntária da AMAR.

Os primeiros cursos previstos são baseados em levantamento feito com as mães da AMAR e pensados para impulsionar a capacidade produtiva e de geração de renda dentro dos círculos de relacionamento das participantes. As aulas acontecerão todas as terças feiras, na sede da AMAR, das 14h às 17h, e incluirão ainda o lanche para as beneficiadas e seus filhos. O programa também promoverá rodas de conversa semanais durante as quais os realizadores do projeto poderão acompanhar as necessidades e opiniões das mães, além de difundir programas de impacto para a conscientização e empoderamento.

O projeto envolve custos com alimentação, remuneração de professores, passagens e alimentação de voluntários, material de capacitação e para operacionalizar a ação. O financiamento coletivo segue o parâmetro do “tudo ou nada”. Então caso não a meta não seja alcançada, todo o dinheiro dos apoiadores será devolvido sem nenhuma cobrança adicional, e o projeto não será realizado.

Os interessados em participar da campanha e contribuir para a realização do projeto devem acessar o http://www.viabilizze.com.br/project/maesprodutivas/ . As doações podem ser feitas com valores a partir de R$ 30 e aqueles que contribuírem receberão desde agradecimentos nominais nas redes sociais da AMAR, passando por brindes como squeezes térmicas, canecas e agendas, até o título de patrocinador do projeto.

AMAR – A ONG existe desde agosto de 2013 e surgiu pela necessidade da sua idealizadora e atual presidente Pollyana Dias, mãe de Pedro Henrique, adolescente que tem síndrome de cri du chat que se sentia sozinha e  enxergou nas redes sociais uma possibilidade de se unir a outras mães que viviam isoladas, na mesma condição dela. Ela iniciou este movimento, por meio do qual auxiliava famílias com o repasse de doações de suplementos alimentares, medicamentos, cadeiras de rodas, fraldas, roupas e cestas básicas.

Atualmente 420 famílias da capital e interior do estado são beneficiadas pela ONG, que tem sede emespaço cedido temporariamente pelo Ginásio Santos Dumont , localizado na Rua Alm. Nelson Fernandes, s/n Boa Viagem. A sede passou por recente reforma viabilizada pela ONG Novo Jeito junto com um grupo de arquitetos de Recife. Que tiver o interesse de colaborar com doações ou voluntariado para a continuidade dos trabalhos da AMAR pode entrar em contato pelo telefone da instituição (3462-6444) ou pelo e-mail amareagir@gmail.com.

Comentários

Comentários